Jovens de olho na redação

Data: 18 de Abril de 2018

Não é de hoje que uma boa redação no vestibular é fator decisivo para quem disputa uma vaga em cursos concorridos. Com o advento do ENEM, a procura por aulas preparatórias para garantir a boa escrita nas provas só aumentou.

Um fenômeno recente é o fato de que mais alunos do ensino fundamental se matriculam nesses cursos especializados. Ludmila Puntel, psicóloga e professora da Oficina Literária Puntel, afirma que os pais de alunos estão se antecipando para garantir melhores resultados nas provas dos filhos.

“Temos duas turmas de ensino fundamental. Uma (com alunos) dos sexto e sétimo anos e outra que contempla o oitavo e nono anos. Esse ano, tivemos uma grande procura e as salas estão quase com a capacidade máxima”, diz Ludmila.

A professora afirma que a procura se deve a vários fatores. Entre eles, a dificuldade dos jovens na interpretação de texto.

“Eles leem o texto e não entendem nada. Já vão respondendo a questão no bate pronto e de maneira incompleta. É claro que isso está casado com a falta de leitura. Aqueles alunos que não têm leitura, lógico que terão mais dificuldades”, comenta.

Resumos

Luis Claudio Jubilato, coordenador pedagógico da Criar Redação, concorda com Ludmila. Para ele, aluno que não lê ou lê muito pouco, apresenta problemas na escrita e raciocina mal.

“Muitas vezes, os jovens preferem ler o resumo do livro ou assistir ao filme que se baseia na obra. Para fazê-los ler um jornal ou revista é uma tortura. Chegam aqui com falta de vocabulário”, ressalta.

Porém, o coordenador pedagógico informa que, pelo menos em sua escola, são poucos os estudantes do fundamental matriculados. A maioria dos seus alunos é do ensino médio e de cursinhos, com idades que variam de 17 a 22 anos.

“Eu ofereço coisas que eles gostam de ler e, a partir dai, iniciamos um trabalho mais amplo. Infelizmente, hoje, ainda mais com o ENEM, houve uma banalização dos cursos, porque muitos pensam mais no preço do que na qualidade”, diz Luis Cláudio, que ressalta ainda que Ribeirão tem atualmente 36 escolas de redação.